A correlação entre obesidade e genética

Scroll down to content

Se existe algo comprovado pela ciência é a ligação entre obesidade e genética.

De acordo com a ABESO – Associação Brasileira Para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica, o número de crianças e adultos obesos têm crescido cada vez mais, e isso envolve fatores sociais, ambientais e claro, genéticos.

A obesidade se faz presente em países ricos como Japão e os EUA, além de países pobres, como é o caso de nações africanas.

No artigo de hoje, uno minhas duas graduações – Biomedicina e Nutrição, para falar de um assunto polêmico e amplamente discutido: A correlação entre obesidade e genética.

Sua curiosidade foi aguçada? Então Não deixe de ler o conteúdo a seguir.

O que é obesidade?

A obesidade é uma doença/condição caracterizada pelo excesso de gordura corporal. Ao se acumular no corpo, esse excesso de gordura pode trazer uma série de outros problemas, como diabetes, hipertensão arterial e risco de desenvolvimento de patologias de ordem cardiovascular.

De acordo com a OMS – Organização Mundial da Saúde, a obesidade é um problema de saúde pública mundial tão série e importante quanto a desnutrição.

O envolvimento da genética

Quando uma criança possui pai e mães que são obesos, as chances de desenvolvimento da obesidade ficam em torno de 70% a 85%, quando apenas o pai ou a mãe é obeso, as chances da criança também ser obesa cai pela metade, por fim quando os pais não são obesos, o riscos para o desenvolvimento dessa condição ficam na faixa dos 10%

O DNA humano é mutável, ou seja, pode sofrer alterações durante a vida de acordo com os hábitos ou ambientes. Irmãos gêmeos possuem basicamente o mesmo DNA ao nascer, no entanto, durante a vida se um praticar atividades físicas e se alimentar de modo saudável, enquanto o outro vive de maneira sedentária, com o passar dos anos teremos, provavelmente uma pessoa eutrófica e uma pessoa obesa.

Ao analisar o DNA desses irmãos após anos com estilo de vida diferenciados, será possível “enxergar” genes ativados e desativados em cada um, mostrando a importância da genética nesse processo.

Genética não é destino

Entretanto, há uma célebre frase que diz: Genética não é destino. Embora o gene possa possuir a informação para o desenvolvimento da obesidade, quem puxa o gatilho é o estilo de vida de uma pessoa.

Atualmente, levar uma vida saudável, com a prática de atividades físicas constantes e o consumo de alimentos igualmente saudáveis pode levar a modulação de genes e evitar alguns polimorfismos que podem prevenir a ocorrência de obesidade.

Embora a genética tenha grande peso no quesito saúde, manter bons hábitos podem prevenir a ocorrência de obesidade e suas complicações.

E concluindo….

Se você busca por saúde, não dê ouvidos a coaches emagrecedores, dietas da moda e dicas da blogueira. Busque por um profissional nutricionista, ele é a melhor escolha para lhe indicar alimentos, elaborar planejamentos alimentares de acordo com suas necessidades e até mesmo solicitar e interpretar exames laboratoriais. Ao se alimentar adequadamente, você assume as rédeas da sua genética e ganha em saúde.

Caso ainda tenha dúvidas sobre o assunto, basta deixar um comentário, que responderei o mais rápido possível.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: