C8H10N402, essa é a fórmula química da cafeína, substância presente no café, que de acordo com a FORBES é a bebida não alcóolica mais consumida no Brasil. Existem atualmente diferentes formas de se fazer café. O coado, o expresso e o instantâneo são os mais conhecidos e consequentemente os mais ingeridos mundo afora.

No entanto, não é somente pensando no prazer que o café é consumido pelas pessoas. Muita gente faz uso da cafeína com o intuito de potencializar a prática de determinada atividade física.

Nos desportos motorizados, quando utilizada de forma adequada, a cafeína pode trazer uma série de ganhos fisiológicos.

Se você é piloto, seja de moto, carro ou kart, então não deixe de ler o conteúdo a seguir (garanto que não haverá arrependimentos).

Formas de consumir a cafeína

A cafeína pode ser consumida de diferentes maneiras, as principais são:

  • Comprimidos ou cápsulas;
  • Café;
  • Chás;
  • Refrigerantes.

Efeitos ergogênicos da cafeína em pilotos

A cafeína pode trazer uma série de ganhos performáticos em pilotos que praticam automobilismo ou motociclismo. Separei aqueles que julgo que são os melhores, confiram.

Diminuição da sensação de fadiga

Embora muitas pessoas não considerem o esporte a motor como uma atividade física extenuante, pilotar um kart, moto ou carro é uma árdua tarefa tanto do ponto de vista físico como mental.

A cafeína se liga a receptores específicos, diminuindo a sensação de fadiga, potencializando a performance nas pistas.

Aumento de força

Esse efeito está diretamente ligado ao efeito anterior. Com a diminuição da sensação de fadiga há automaticamente um aumento de força que pode resultar em melhores resultados de tempos de voltas.

Maior capacidade de concentração

A cafeína ainda é capaz de promover maior capacidade de concentração em seus consumidores. Quando há melhora na concentração a sintonia de movimentos finos pode se tornar potencializada e melhorar o rendimento durante uma volta lançada em um treino classificatório, por exemplo.  Uma boa posição no grid de largada, obtida durante sessões de classificação podem se transformar em importantes pontos na briga por um título.

Mais agilidade

Com o cérebro funcionando de maneira otimizada, é natural que além de mais concentrado o piloto que estiver fazendo uso de cafeína, se torne também mais ágil. Isso facilita a tomada de decisões e garante ainda maior equilíbrio, no caso dos pilotos de moto.

Qual dose utilizar?

De acordo com literaturas, a dose ótima de cafeína é de 5 mg por quilo de peso corporal. Ou seja, se um piloto pesa 70 kg, basta multiplicar esse peso por 5 para se obter a dose ótima de cafeína para potencializar sua performance nas pistas. Utilizando o exemplo citado, a dose seria de 350 mg.

Quantidade de cafeína em diferentes bebidas

Apenas para efeito de curiosidades de doses, mostro a seguir a quantidade de cafeína presente em diferentes bebidas:

  • 1 xícara de café expresso – 64 mg de cafeína;
  • 1 xícara de café coado – 86 mg de cafeína;
  • 1 xícara de chá verde – 50 mg de cafeína;
  • 1 xícara de chá preto – 74 mg de cafeína;
  • 1 lata de coca cola – 32 mg de cafeína;
  • 1 lata de RedBull 77 mg de cafeína.

Fonte: Jornal Nexo.

Experimento na prática

Quem me acompanha sabe que sou nutricionista especialista em Nutrição Esportiva e agora divido com vocês aqui, duas ocasiões em que a cafeína foi utilizada com sucesso no automobilismo.

As duas utilizações ocorreram no autódromo VeloCitta durante etapas distintas da categoria de Monoposto F-1600 e piloto testado, foi o meu paciente Luan Giraldi. Nas duas ocasiões as doses utilizadas foram de 5 mg da substância por quilo de peso e foram feitas comparações com e sem a cafeína.

Tabela 1 Utilização de cafeína como recurso ergogênico no automobilismo
Resultados práticos após uso de cafeína em sessões de F.1600

Como é possível notar na tabela, o relato do piloto é de que a cafeína aumentou seu poder de concentração, e diminuiu seu cansaço, tanto durante treinos, quanto durante  a corrida.

Fiz inclusive, um post no Instagram, que pode ser acessado clicando aqui, onde mostro o efeito prático do uso de cafeína de modo direto em tempos de voltas.

Cafeína e seus efeitos no esporte a motor
Piloto Luan Giraldi, em experimento com cafeína no esporte a motor

Efeitos colaterais e contraindicações

Entretanto, nem tudo são flores no mundo da cafeína. O composto é contraindicado para quem possui problemas cardíacos como sopro no coração ou arritmias. Além disso, pessoas que sofrem de insônia também não devem utilizar a substância.

Os efeitos colaterais relatados se dão por conta do uso indiscriminado da substância e incluem:

  • Agitação;
  • Irritabilidade;
  • Dificuldades para dormir;
  • Taquicardia;
  • Sudorese excessiva;
  • Aumento de produção de urina;
  • Desconforto gástrico.

Se você é piloto e quer potencializar suas atividades em pista através do uso de cafeína e outros recursos ergogênicos basta entrar em contato comigo que desenvolvemos um protocolo exclusivo para suas necessidades.

Ainda possui alguma dúvida sobre a utilização de cafeína no esporte a motor ou quer sugerir novas pautas? Basta deixar um comentário!

Nos vemos no próximo artigo. Até lá!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: